fbpx

Aprenda a Investir: os primeiros passos para se tornar um investidor

Índice do artigo
Aprenda a Investir

O mundo dos investimentos despertou seu interesse e você não sabe por onde começar? Então você está no lugar certo! Criamos um guia com os primeiros passos para quem quer aprender a investir. Não importa se já tem algum conhecimento sobre o assunto ou se precisa de algumas aulas sobre economia básica. Aqui temos tudo, do básico ao avançado.

1. Leia sobre o assunto

Busque informações, tire dúvidas, acompanhe notícias e sites especializados em investimentos. Mesmo que no início você não entenda direito, é assim que vai começar a ampliar seu conhecimento. Uma boa dica para começar a pensar como um investidor é ler um livro sobre o assunto. Nesse artigo indicamos 9 títulos que vão te ajudar muito:

Livros sobre investimentos para quem está começando

Aqui no Aprenda a Investir temos vários artigos para tirar dúvidas comuns a quem está começando a pesquisar sobre o assunto. Veja alguns deles:

2. Descubra qual é o seu perfil de investidor

Descobrir qual é o seu perfil de investidor vai te ajudar a ter clareza do quanto você está disposto a correr riscos no mundo dos investimentos. Essa classificação vai ser o guia na hora de escolher os melhores produtos para compor a sua carteira, alinhados com suas expectativas.

Isso significa que se você é uma pessoa que não aceita perder dinheiro, provavelmente deve optar por ativos de renda fixa, que tem mais previsibilidade de retorno. Mas, caso seja uma pessoa mais tolerante ao risco de perder o que investiu em busca de ganhos maiores, os ativos de renda variável vão parecer mais atraentes e promissores.

Leia esse artigo para descobrir em qual dos três perfis você se encaixa:

Perfil de Investidor: descubra qual é o seu

3. Entenda o básico sobre os diferentes tipos de investimentos

Se você já definiu seu perfil de investidor, então já tem uma ideia das diferenças entre os ativos de renda fixa e renda variável. Ter uma noção básica do que é cada tipo de investimento que existe, vai te trazer confiança de que está fazendo as melhores escolhas. Mesmo que conte com um especialista (que é sempre o ideal), é preciso saber como funcionam as coisas para fazer as perguntas certas.

A renda fixa é uma modalidade mais previsível, ou seja, quando você coloca o dinheiro, já tem uma ideia do quanto vai receber de volta no final do prazo estabelecido. Essas aplicações são indicadas para todo mundo, uma vez que oferecem segurança de ter parte do dinheiro com quase nenhum risco de se perder. Além disso, alguns ativos também possuem liquidez para servir como reserva de emergência. Dê adeus à poupança!

Já a renda variável são opções que, como o nome diz, sofre variações sem garantias de retorno. Um exemplo são as ações da Bolsa, que ao comprar, você está totalmente dependente do futuro daquela empresa.

Para entender mais as diferenças entre renda fixa e variável, veja o artigo abaixo:

Qual a diferença entre renda fixa e variável?

Também existem os fundos de investimentos, que funcionam como um condomínio, em que cada investidor compra uma cota. A vantagem de investir em fundos é a praticidade de ter um profissional analisando o desempenho diariamente e a diversificação dos ativos. Exemplos: fundos de renda fixa, fundos de ações, fundos multimercados, fundos de previdência, fundos internacionais, fundos imobiliários, etc.

4. Defina um objetivo e estabeleça prazos

Existem diversos tipos de objetivos e cada um precisa de uma estratégia de investimento diferente. Estabelecer prazos também é importante porque na hora de escolher uma aplicação, você deve considerar se há prazo de vencimento para retirar o dinheiro.

Por exemplo, se está pensando em viajar ou fazer uma festa de casamento daqui a dois anos, você não precisa só guardar dinheiro todo mês, como também pode fazer esse valor render num curto prazo.

E se está começando a planejar sua aposentadoria, as aplicações de médio a longo prazo são as mais indicadas. A sua idade atual e a idade com que você pretende se aposentar também vai influenciar na escolha dos produtos.

Há também quem tenha o sonho de viver de renda. Nesse caso, a estratégia vai exigir mais dedicação para construir um patrimônio que tenha uma renda mensal significativa que te possibilite parar de trabalhar um dia. Se quer saber mais sobre como viver de renda, leia esse artigo:

O que é viver de renda? Como isso é possível?

Não importa o objetivo, sempre existe uma estratégia recomendada para você alcançar o que deseja! E a próxima dica vai ser essencial pra te ajudar nessa jornada.

5. Conte com a ajuda de um profissional

Hoje em dia é muito comum ver recomendações de aplicações rentáveis do mês ou de algum setor específico. Lembre-se que são sugestões genéricas que não levam em consideração suas expectativas.

Se você é iniciante ou expert em investimentos, o ideal é poder contar com a assessoria de um profissional. Essas pessoas estão capacitadas para tirar suas dúvidas considerando seus objetivos, seu perfil de investidor e histórico financeiro. Além disso, elas se dedicam a entender todos os detalhes das aplicações que estão disponíveis.

Se você tiver dúvidas sobre as diferenças entre bancos, corretoras de valores e assessoria de investimentos, clique para ler nosso artigo sobre isso:

Qual a diferença entre bancos, corretoras e assessorias?

Outros artigos que você pode se interessar:

Como investir no mercado imobiliário sem comprar um imóvel?

O que é Índice Bovespa?

Ticker: entenda o código das ações

É possível investir na Bolsa de Valores americana sendo brasileiro?

Filmes para quem quer começar a investir

 

Quer saber mais sobre investimentos?

Compartilhar:

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *