fbpx

Big Techs: saiba mais sobre as gigantes da tecnologia

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Em 2020, as Big Techs tiveram seus negócios alavancados por consequência da pandemia da Covid-19. Isso aconteceu porque as pessoas passaram mais tempo dentro de suas casas consumindo conteúdo online para entretenimento ou trabalho, e ao mesmo tempo mostrou para o mundo que a tendência é a tecnologia realmente evoluir e estar cada vez mais presente no dia a dia.

Porém, este ano, nem as empresas de tecnologia conseguiram fugir das consequências que os atuais problemas mundiais estão causando.

Mas o que são as Big Techs?

As Big Techs nada mais são do que as grandes empresas de tecnologia. O principal motor dessas companhias é a inovação, porque elas sempre estão definindo novas tecnologias e serviços, além de atualizar constantemente os produtos e dispositivos para atender todas as demandas. Cada Big Tech tem uma mistura diversificada de aplicativos e serviços em nuvem, produtos e acúmulo de dados.

Nós sentimos a presença dessas gigantes de tecnologia diariamente. Nas redes sociais, nos aplicativos de motoristas, no streaming de vídeo, etc. Basicamente tudo que envolve inovação vem das Big Techs.

As maiores empresas do mundo já controlam cerca de 80% do mercado, entre as cinco principais estão: Apple, Amazon, Alphabet, Microsoft e Facebook.

O Poder das Big Five

As Big Five produzem enormes benefícios para os consumidores e são responsáveis por inovar. Vale dizer que é nessa inovação que está a maior concentração do mercado.

  • Apple

Quando se trata de grandes empresas de tecnologia, a Apple é líder em inovação e no fornecimento de produtos, como o iPhone, e serviços únicos.

  • Amazon

Ela é a gigante do comércio eletrônico no mundo, envolvida com serviços de streaming, e-books, soluções de casa inteligente, um estúdio de cinema e televisão, fabricação de eletrônicos e muito mais.

  • Alphabet

É uma holding criada para administrar todos os serviços relacionados ao Google, que é o mecanismo de pesquisa preferido para a maioria dos usuários.

  • Microsoft

Já a Microsoft, é uma das gigantes da tecnologia que foi responsável por desenvolver o famoso Windows e também o Microsoft Word, editor de texto mais utilizado do mundo. E, em 1989, o Microsoft Office, que é composto pelo Word, Outlook, Excel e PowerPoint.

  • Meta (Facebook)

Desde o início do Meta, antigo Facebook, Mark Zuckerberg foi o responsável por transformar um projeto paralelo universitário em uma plataforma multibilionária. A rede conseguiu dominar o mercado das mídias sociais, adquirindo Instagram e Whatsapp, por exemplo.

Qual o papel das Big Techs na sociedade atual?

Resumindo, o papel principal é facilitar as nossas vidas em todos os aspectos.

A troca de mensagens pelas redes sociais facilita a comunicação entre os indivíduos, seja no âmbito pessoal ou profissional. Os serviços inteligentes de casa, como os dispositivos de comando por voz, por exemplo, trazem maior praticidade. As Big Techs também se conectam diretamente ao nosso lazer, como Netflix, Amazon Prime, Apple Music e outros serviços.

No ambiente de trabalho, elas seguem aparecendo com grande destaque nos produtos focados em marketing, atendimento ao cliente, inteligência artificial, criação de aplicativos e gestão de comunidades.

Perceba que o principal motor das Big Techs é a inovação. Elas definem tecnologias e serviços de maneira contínua, atualizam dispositivos e produtos para atenderem às demandas e mantém sua relevância no mercado.

E as facilidades estão por todos os lados, inclusive no mercado financeiro.

Revolução no mercado financeiro

As Big Techs também estão de olho no mercado financeiro, especialmente diante do seu potencial comercial e da possibilidade de gerar disrupção.

O Facebook já lançou o WhatsApp Pay para facilitar as transações comerciais online por meio de blockchain. O Brasil foi o primeiro país a receber a ferramenta, que possibilita inclusive pagamentos com cartões de crédito ou débito de alguns bancos. Serve também para o WhatsApp Business, facilitando a vida de pequenas empresas.

Já a Amazon, em parceria com o Goldman Sachs, lançou uma linha de crédito para pequenos empresários. No caso da Apple, existe o Apple Card.

Somado a esse movimento, o Google tem planos futuros para sua própria conta corrente.

Consequências dos problemas atuais nas Big Techs

Infelizmente, nem mesmo as grandes empresas de tecnologia passaram ilesas às consequências da guerra entre Rússia e Ucrânia, pressão inflacionária ao redor do mundo, aumentos de custos em energia e transportes e, mais recentemente, aos lockdowns impostos na China, que desestruturam as cadeias produtivas globais. Por essa razão, o valor de mercado do conjunto dessas empresas vem derretendo em 2022.

Os ativos de tecnologia como um todo estão sofrendo uma correção de preços. Em momentos como o atual, de inflação alta e perspectiva de aumentos na taxa de juros, o setor que mais costuma ser penalizado é o de tecnologia.

Como a maior parte do valor de mercado dessas empresas está projetado para os próximos anos e o aumento da taxa desacelera a economia, a tendência é que o crescimento dessas companhias também seja menor.

Essa queda tem colocado o centro financeiro dos Estados Unidos em alerta, principalmente pelo enorme peso delas na composição dos principais índices de mercado.

Esse já é considerado o pior trimestre para as Big Techs com as sinalizações do Federal Reserve (FED – o Banco Central dos EUA) de elevações mais agressivas nas taxas de juros, o que tem gerado enorme volatilidade nos preços das Ações.

Você pode gostar
Quanto rende R$1 milhão na poupança?
Com a taxa básica de juros a 12,75% ao ano e a inflação nas alturas, entender quanto rende R$ 1 milhão...
Como a CVM pretende monitorar os influenciadores digitais de finanças
A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) acompanha o mercado, as tendências e o comportamento dos atores...
BlackRock: as 4 tendências que podem fazer o mercado de ETFs triplicar
A indústria global de ETFs (Exchange Traded Funds) está a caminho de triplicar de tamanho. Se há vinte...
Ensaio sobre a aleatoriedade
Um discurso sobre o comportamento do investidor através da literatura José Saramago se tornou um grande...
Navegue pelo site
Siga nas redes sociais
Cadastre-se na Newsletter

O portal www.aprendaainvestir.com.br é de propriedade BANKRIO FINANCIAL HOLDING LTDA (CNPJ/MF nº 33.935.936/0001-63). Apesar da empresa estar sob o controle comum, os executivos responsáveis tecnicamente são totalmente independentes, sendo que estes na função da execução de suas atividades não exercem nenhuma atividade conflitante. Desta forma, os conteúdos vinculados no site são de caráter exclusivamente informativo, não sofrendo, de qualquer aspecto, influência de decisões comerciais e de negócios de outras sociedades, sendo os mesmos produzidos de acordo com o juízo de valor e as convicções da equipe técnica. Ao preencher algum formulário, você aceita compartilhar os seus dados de contato com as empresas controladas pelo grupo.

© 2021 | Todos os direitos reservados