fbpx

Como foi o processo de compra do Twitter? Entenda melhor essa movimentação

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

O mundo inteiro já deve estar ciente de umas das maiores transações da história: Elon Musk, o homem mais rico do mundo, decidiu comprar uma das maiores empresa a de comunicações que existe na internet, o Twitter.

Musk surpreendeu a todos quando oficializou seu pedido de compra por US$46,5 bilhões. Mas como uma compra desta magnitude ocorre? Qual o motivo para um homem como Elon Musk gastar ¼ de sua fortuna nesta compra?

A resposta para cada uma dessas perguntas você encontra a seguir. Boa leitura!

Como ocorreu a compra do Twitter?

Primeiro Elon Musk fez uma oferta inicial de $40 bilhões pela mídia social, alegando que ele tinha o desejo de transformar o Twitter em uma “companhia privada” e deixar seus usuários usarem o aplicativo de uma maneira mais livre. Porém, o conselho do Twitter negou a oferta, alegando “poison pill”: um mecanismo usado por empresas para se defender de uma oferta hostil de compra, que pode deixar a empresa mais cara e menos atrativa.

Em seguida, Elon Musk fez uma oferta ainda maior no valor de US$46,5 bilhões botando pressão no conselho. Desta forma, os acionistas aceitaram vender a companhia por US$54,20 por Ação.

Neste momento, todos aguardam pacientemente enquanto os maiores acionistas do Twitter votam na oferta e as empresas reguladoras avaliam se a compra é legítima. O resultado deve sair apenas no final do ano.

Caso Elon Musk desista de comprar a empresa por algum motivo, ele precisará pagar uma multa no valor de US$1bilhão.

O que Elon Musk ganha com essa compra?

Se a oferta for aceita, o empreendedor Elon Musk será dono de uma das maiores redes sociais do mundo, uma plataforma que é usada por líderes políticos para expor suas opiniões, por grandes indústrias para anunciar novidades e também como fonte de informação por pessoas do mundo inteiro.

Musk não revelou seus planos para a rede social, mas em algumas declarações ele alegou que deseja “melhorar ainda mais” o aplicativo, incluindo novos recursos e sempre enfatizando que seu objetivo é deixar a rede social “mais livre”, focando sempre na liberdade de expressões dos usuários.

E você, o que achou dessa negociação?

Você pode gostar
Quanto rende R$1 milhão na poupança?
Com a taxa básica de juros a 12,75% ao ano e a inflação nas alturas, entender quanto rende R$ 1 milhão...
Como a CVM pretende monitorar os influenciadores digitais de finanças
A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) acompanha o mercado, as tendências e o comportamento dos atores...
BlackRock: as 4 tendências que podem fazer o mercado de ETFs triplicar
A indústria global de ETFs (Exchange Traded Funds) está a caminho de triplicar de tamanho. Se há vinte...
Ensaio sobre a aleatoriedade
Um discurso sobre o comportamento do investidor através da literatura José Saramago se tornou um grande...
Navegue pelo site
Siga nas redes sociais
Cadastre-se na Newsletter

O portal www.aprendaainvestir.com.br é de propriedade BANKRIO FINANCIAL HOLDING LTDA (CNPJ/MF nº 33.935.936/0001-63). Apesar da empresa estar sob o controle comum, os executivos responsáveis tecnicamente são totalmente independentes, sendo que estes na função da execução de suas atividades não exercem nenhuma atividade conflitante. Desta forma, os conteúdos vinculados no site são de caráter exclusivamente informativo, não sofrendo, de qualquer aspecto, influência de decisões comerciais e de negócios de outras sociedades, sendo os mesmos produzidos de acordo com o juízo de valor e as convicções da equipe técnica. Ao preencher algum formulário, você aceita compartilhar os seus dados de contato com as empresas controladas pelo grupo.

© 2021 | Todos os direitos reservados