fbpx
Índice do artigo

Talvez essa seja a dúvida de muitos que buscam iniciar no mercado de ações e não estão familiarizados em como as coisas acontecem na tão falada Bolsa de Valores. Entender o funcionamento dela é crucial, mas antes de saber como ela opera, vamos entender o que é a Bolsa de Valores.

O que é a Bolsa de Valores?

A Bolsa de Valores é o lugar onde é feita a compra e venda de ações. É como um ponto de encontro dos investidores para realizar as negociações de forma rápida, segura e organizada. Ou seja, quem quer vender uma ação recorre a bolsa para achar quem queira comprar e vice-versa.

Quando você compra uma ação de uma empresa, automaticamente, passa a fazer parte daquele negócio como um sócio e, com isso, participará do desenvolvimento da companhia, tanto dos lucros, como dos prejuízos.

Mas você deve estar se perguntando: como eu vou lucrar com isso? Primeiro, é importante que um conceito seja explicado, as ações. Já falamos anteriormente, e pode até estar um pouco dedutível, mas vamos lá.

O que é uma ação?

A ação é uma pequena parte de uma empresa. Por exemplo, uma companhia decide ser negociada na Bolsa de Valores, e ao somar todos os seus bens, chega a um valor de R$2.000. Esse valor será dividido pelo número de partes que a empresa quis ser dividida. Então, se dividir em 100 pedaços, teremos um total de 100 ações e consequentemente, cada parte da companhia valeria R$20. Mas que conta foi essa? O processo é simples, você pega o valor da empresa, R$2.000, divide pelo número de partes que escolheu fragmentá-la, 100, e o resultado obtido é R$20.

Antes de terminarmos de falar sobre as ações, é interessante conhecer as duas principais, as mais comuns, na bolsa de valores. São elas:

Ordinárias

Representadas pelo número 3 ao final do código da ação, elas permitem ao acionista o direito a participação na empresa, como por exemplo, o direito ao voto em assembleias e nas decisões da companhia. Quanto maior o número de ações ordinárias, maior o poder e a influência que o investidor tem.

Preferenciais

Representadas pelo número 4 ao final do código da ação, elas dão preferência aos acionistas no que se refere ao pagamento dos dividendos (parcela de lucros). E em caso de falência/fechamento da empresa, os acionistas também possuem preferência e facilidade em reembolsar parte do seu capital.

Agora podemos partir para o funcionamento da Bolsa de Valores e como ela gera lucro.

Como funciona a Bolsa de Valores?

São duas formas de uma empresa obter lucros quando negociada na bolsa. A primeira é quando a empresa distribui o lucro a todos os sócios. Então, imaginando um lucro de R$500, trazendo o exemplo da empresa que usamos anteriormente, que se dividiu em 100 partes/ações, se dividirmos o lucro total pelo número de ações chegamos a um lucro de R$5 para cada acionista. Isso é o chamado dividendo, que é uma das formas de lucro. Porém, como o lucro foi compartilhado a cada um dos investidores, a companhia continua valendo R$2.000 e mantem o valor inicial das ações, R$20.

A segunda maneira de lucrar é reinvestindo o lucro que foi gerado na própria empresa, logo, seria um jeito de fomentar o seu desenvolvimento e os lucros, que seriam cada vez maiores. Agora, a empresa, que antes valia R$2.000, passa a valer R$2.500, o que implicaria no aumento do valor da ação, que antes era R$20, e passou a ser R$25 (2.500/100).

Qual a importância da Bolsa de Valores?

A Bolsa de Valores é muito importante para qualquer empresa, afinal, é por meio dela que as companhias conseguem crescer e não vir a precisar de empréstimos ou financiamentos. Além, é claro, de conquistar a confiança dos acionistas, porque precisam se adequar as regras existentes no mercado financeiro, e assim, ficam mais transparentes na sua gestão.

Muitos afirmam que o crescimento econômico de um país, e até mesmo do mundo, está diretamente ligado a Bolsa de Valores. Acaba sendo verdade pois ela reflete o crescimento das principais empresas do mundo, que logicamente só conseguem ser bem sucedidas se houver ambiente econômico favorável aos seus negócios e à sociedade. Esse ambiente econômico favorável significa geração de empregos, investimentos sociais, ambientais e econômicos, políticas fiscais e monetárias sustentáveis e dentre muitas outras medidas que favoreçam o desenvolvimento.

Como entrar na Bolsa de Valores?

É mais fácil do que parece! Você precisa ter uma conta em alguma corretora de valores, ela pode ser vinculada a um banco ou ser independente.

Depois disso, é só fazer a escolha pelo investimento e mandar a ordem de compra ou de venda por meio da corretora. Ela vai emitir ao sistema de negociação do mercado de capitais, e lá vai haver uma espécie de “casamento” entre você e alguém interessado em uma ordem oposta à sua. Ou seja, se você quer vender, casa com alguém que quer comprar ou o contrário.

Agentes autônomos podem tirar qualquer dúvida que você tenha no processo.

Quer saber mais sobre investimentos?

Compartilhar:

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia mais

Posts Relacionados