fbpx
Índice do artigo
Natura

Abrir capital na Bolsa de Valores é uma das metas que, provavelmente, está na lista de qualquer empresa do mundo. Contar com investidores que acreditam no potencial do negócio é uma vantagem e tanto diante do mercado. Além disso, é uma peça chave para o sucesso da companhia.

Como já falamos aqui no Aprenda a Investir, são muitos os critérios que devem ser cumpridos até que uma empresa consiga ser listada na B3. Mas não é impossível, como mostrou a maior multinacional brasileira de cosméticos, a Natura.

 

Histórico da Natura

Fundada em 1969 por Luiz Seabra, a pioneira dos cosméticos no Brasil começou com uma pequena fábrica situada na rua Oscar Freire, em São Paulo. Inicialmente era a Indústria e Comércio de Cosméticos Berjeaut, porém, alguns meses depois, passou a se chamar Natura.

A princípio a comercialização dos produtos era feita pessoalmente na loja. Em 1974, a venda direta foi adotada como modelo de negócios. Pensando em ampliar o público-alvo, houve a inauguração, no mesmo ano, de um segmento de produtos masculinos. Mais uma vez, a empresa atuou como precursora, já que produtos de beleza para homens era uma novidade para a época.

Sempre pensando em diversificar, em 1995, a empresa pensou além dos produtos cosméticos e lançou uma linha de produtos, chamada Crer Para Ver, em que o lucro era revertido para ações de melhoria educacional.

 

Abertura de capital na Bolsa de Valores

Em 26 de maio de 2004, a Natura ousou e realizou a oferta de ações na Bolsa de Valores de São Paulo. Isso porque naquele momento o mercado acionário tinha poucas empresas e estava há dois anos sem nenhuma abertura de capital (IPO). Logo, o cenário não era o mais convidativo.

Para somar ao passo corajoso da companhia, a decisão foi direcionada ao Novo Mercado – segmento da B3 que engloba os ativos das empresas listadas com os melhores níveis de governança corporativa do mercado.

Em outras palavras, a Natura foi destemida em optar por um grupo de exceções, que contava com apenas duas companhias. Além de precisar cumprir com características mais rígidas como: um modelo de transparência na prestação de contas, mecanismos de prevenção a fraudes, baseadas por conceitos éticos, diversidade na composição do conselho de administração, entre outras.

 

Natura em territórios internacionais

No ano de 1982, a Natura expandiu seus horizontes, chegou ao mercado internacional e teve a sua primeira incursão no Chile. 12 anos depois, em 1994, iniciou suas operações na Argentina e também no Peru.

Em 2005, a multinacional teve sua primeira loja inaugurada em Paris. 11 anos depois, em 2016, chegou em Nova Iorque.

 

Compra de marcas do mesmo segmento

A Natura, ao longo dos anos, adquiriu algumas outras marcas do mesmo segmento. A marca britânica de cosméticos The Body Shop foi uma delas. O que resultou, em 2018, na criação do grupo Natura & Co, uma união da marca australiana Aesop – comprada pela Natura em 2016 – e da The Body Shop.

A lista da Natura & Co cresceu em 2020 com a aquisição da norte-americana Avon, outra gigante no setor de perfumaria e cosméticos. A partir daí, a holding foi para as cabeças das marcas líderes no mundo em vendas diretas, com o equivalente a 6,3 milhões de consultores e se tornou a quarta maior do setor de consumo e varejo no mundo.

 

A construção da marca social e sustentável

A preocupação com as questões ambientais não é uma prática recente da Natura. Antes mesmo desses assuntos entrarem em voga na sociedade, a multinacional já buscava iniciativas mais sustentáveis.

Em 2000, a companhia já iniciava as suas primeiras práticas ao lançar uma linha de produtos que apresentava ingredientes da biodiversidade brasileira na sua formulação. Alguns anos depois as ações só se intensificaram, veja a seguir:

  • 2006

Baniu qualquer tipo de teste de produtos e de ingredientes em animais;

  • 2007

Criou o Programa Carbono Neutro com metas de redução das emissões de gases de efeito estufa em toda a cadeia produtiva;

  • 2010

Inaugurou o Instituto Natura que apoia a educação pública;

  • 2011

Lançou o Programa Amazônia, cujo objetivo era direcionar investimentos para a região;

  • 2013

Reduziu 1/3 das emissões de gases de efeito estufa. Além disso, lançou a linha Sou, com 70% menos plástico;

  • 2014

Inaugurou o Ecoparque – Centro Industrial em Benevides (PA) e com isso, se tornou a primeira companhia de capital aberto a ser tornar uma Empresa B (empresa que visa como modelo de negócio o desenvolvimento social e ambiental).

 

Ações da Natura

Com a incorporação da Natura Cosméticos pela Natura & Co Holding, houve uma mudança no ticker de negociação. Dessa forma, ele passou de NATU3 para NTCO3.

Vale lembrar que a mudança aconteceu também no mercado fracionário – NATU3F virou NTCO3F. Como mencionamos anteriormente, os ativos da companhia são negociados no Novo Mercado da Bolsa de Valores brasileira, que possui o nível mais alto de governança corporativa da B3.

 

Em 15 de setembro de 2020, a NTCO3 atingiu o pico de valorização – R$53,50

 

De acordo com o gráfico acima, é possível observar que inicialmente, o ano de 2020 apresentou uma queda brusca no valor das ações da Natura no período crítico da pandemia do novo coronavírus. Porém, a recuperação veio rapidamente e mesmo com os impactos ocasionados pela crise, os ativos apresentaram uma alta, alcançando o pico de R$53,50.

 

Conclusão

Há mais de 50 anos no mercado, a Natura é líder no setor de venda direta no Brasil e está presente em 7 países da América Latina, nos EUA e na França. Pioneira no ramo de cosméticos e no desenvolvimento social e ambiental, a companhia construiu uma marca forte.

Desde então, a multinacional colhe os frutos de uma boa governança acompanhada mais facilmente a partir da sua entrada na B3. Dessa forma, os investidores interessados e atraídos pela atuação da empresa podem compreender melhor sobre o local em que estão aplicando o seu patrimônio.

Ficou interessado em alocar capital em empresas listadas na Bolsa de Valores brasileira? Não perca tempo e procure um assessor de investimentos para te ajudar nesse ponta pé inicial. Comece a rentabilizar o seu capital o quanto antes e colha bons resultados no futuro.

 

Veja mais:

Como funciona a Bolsa de Valores?

 

Quer saber mais sobre investimentos?

Compartilhar:

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia mais

Posts Relacionados