fbpx

Ajuste no teto do faturamento de MEI’s é votado no Planalto

MEI
Foto: envatoelements

No dia 21 de junho, foi votado e aprovado pela Comissão de Finanças e Tributação, o Projeto de Lei Complementar (PLP) 108/21, originado pelo Senado, que visa alterar o Estatuto da Micro e Pequena Empresa, ajustando os limites de faturamento para MEI’s, sendo levado em conta no cálculo cálculo do ajuste, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulada desde dezembro de 2006 à março de 2022.

Ainda em trâmite na Câmara dos Deputa desde janeiro de 2022, o projeto visa ajustar o atual teto da receita bruta anual, que atualmente é de R$ 81 mil, limite o qual é determinante no enquadramento da empresa no regime de Microempreendedor Individual (MEI). Além do ajuste do limite, passará a ser permitido a contratação de até dois empregados pelo MEI em questão; atualmente é permitido por lei apenas um empregado.

‘O que se pretende não é ampliar o limite, mas sim, em consonância com a Constituição, permitir, com a devida atualização, que os reais destinatários permaneçam no regime e que não haja a exclusão em decorrência da inflação’, explicou o deputado Marco Bertaiolli (PSD-SP).

A iniciativa também estabelece que as empresas recém-abertas possuam um limite de faturamento de R$ 10.833,33 multiplicados pela quantidade de meses exercidos desde o início de sua atividade até o final do ano-calendário.

Segundo o Mapa das Empresas, atualmente são mais de 11 milhões de MEI’s ativos, destes, 1.340.726 CNPJ’s foram abertos em 2022.

‘Temos que dar condições para que as micro e pequenas empresas cresçam e gerem empregos. Não se trata de aumentar valor ou trazer inovações. Estamos simplesmente atualizando o teto do Simples pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo). Estamos levando justiça a esse segmento que é o que mais contribui para a economia’, complementa Bertaiolli.

O projeto, apesar de aprovado pelo Senado e pela Comissão de Finanças e Tributação, ele ainda será levado à votação no Plenário da Câmara, podendo ter sua vigência válida somente em 2023.

De acordo com a informação disponível no site da Câmara, os projetos de Lei Complementar exigem um quórum diferenciado para a sua aprovação, que é, no mínimo, a maioria absoluta de votos favoráveis, ou seja, 257 votos.

Os projetos de lei complementar aprovados nas duas Casas são enviados ao presidente da República para sanção. O presidente tem 15 dias úteis para sancionar ou vetar. O veto pode ser total ou parcial. Todos os vetos têm de ser votados pelo Congresso. Para rejeitar um veto, é preciso o voto da maioria absoluta de deputados (257) e senadores (41).

Quer saber mais sobre investimentos?

Você pode gostar
Expert XP 2022: o futuro pelo olhar de quem transforma
O maior evento de investimentos do mundo, a Expert XP 2022, aconteceu entre os dias 3 e 4 de agosto....
A Selic aumentou! Entenda os desdobramentos
Após 11 altas consecutivas, a Selic aumentou novamente nesta quarta-feira (3). A reunião do Comitê de...
Bitcoin e ethereum fecham julho em alta. O que esperar agora?
Ao contrário do que se imaginava, a alta dos juros nos Estados Unidos na última semana do mês de julho...
EUA entram em recessão técnica e analistas apontam riscos para o Brasil
A recessão nos Estados Unidos, sinalizada por dois trimestre consecutivos de queda do Produto Interno...
Navegue pelo site
Siga nas redes sociais
Cadastre-se na Newsletter

O portal www.aprendaainvestir.com.br é de propriedade BANKRIO FINANCIAL HOLDING LTDA (CNPJ/MF nº 33.935.936/0001-63). Apesar da empresa estar sob o controle comum, os executivos responsáveis tecnicamente são totalmente independentes, sendo que estes na função da execução de suas atividades não exercem nenhuma atividade conflitante. Desta forma, os conteúdos vinculados no site são de caráter exclusivamente informativo, não sofrendo, de qualquer aspecto, influência de decisões comerciais e de negócios de outras sociedades, sendo os mesmos produzidos de acordo com o juízo de valor e as convicções da equipe técnica. Ao preencher algum formulário, você aceita compartilhar os seus dados de contato com as empresas controladas pelo grupo.

© 2021 | Todos os direitos reservados