fbpx
Índice do artigo
magazine luiza

Fazer parte do grupo de empresas listadas na Bolsa de Valores não é um processo simples. Por trás dos pequenos códigos das ações (tickers) existem organizações que trabalham diariamente para se adequar as diversas exigências de permanecer no ambiente da B3.

Considerada a gigante do varejo, o Magazine Luiza se faz presente na bolsa desde 2011, quando finalizou o processo de Oferta Pública Inicial de Ações (IPO). Ao longo desses anos, a empresa se mostrou forte e visionária, buscando alcançar novos espaços.

Sem mais delongas, neste artigo vamos detalhar sobre o Magazine Luiza e a sua trajetória até aqui. Confira!

 

Histórico do Magazine Luiza

Fundada em 1957 por Luiza Trajano Donato e Pelegrino José Donato – a empresa Magazine Luiza é uma das maiores redes varejistas do Brasil. Ela é do ramo de tecnologia e logística com a atuação focada, em sua maioria, ao varejo.

A companhia começou a funcionar na cidade de Franca, no interior do estado de São Paulo. Alguns anos depois foi se expandindo para regiões próximas.

Em 2015, o operacional da empresa apresentava sinais de ineficiência e os resultados eram cada vez mais instáveis. Pensando em reverter esse cenário e se tornar uma companhia mais lucrativa e eficiente, foi iniciado um processo de reestruturação. O resultado foi um crescimento exponencial nos últimos anos.

De acordo com dados divulgados no release do segundo trimestre de 2020, a companhia tinha R$5,5 bilhões de receita líquida.

Atualmente, o Magazine Luiza conta com mais de 1.100 lojas espalhadas por 21 estados brasileiros. São 35 mil colaboradores e a empresa está em 5 endereços eletrônicos, além do seu aplicativo. Somado a isso, se encontra segmentada em quatro categorias de linhas de negócio. São elas:

  • Varejo – Magazine Luiza;
  • Crediário – Luizacred (em parceria com o Itaú);
  • Seguro – Luizaseg (em sociedade com a Cardif);
  • Consórcio – Consórcio Luiza.

No cargo de presidente da companhia está Luiza Helena Trajano, sobrinha de Luiza Trajano Donato, e na vice-presidência está Marcelo Silva.

Para completar a equipe de gestão, temos:

  • Roberto Bellíssimo Rodrigues – Chefe do Setor Financeiro;
  • Maria Isabel Bonfim de Oliveira – Diretora de Administração e Controle;
  • Frederico Trajano – Diretor-Executivo;
  • Fabrício Bittar Garcia – Diretor-Comercial.

 

Marcos alcançados

O Magazine Luiza foi uma das pioneiras no processo de promoções, a chamada liquidação fantástica – dia em que os produtos eram vendidos com até 70% de desconto. O objetivo do evento era diminuir os estoques de fim de ano. A primeira liquidação aconteceu em 1993 e a estratégia foi replicada por inúmeras redes de departamentos.

Mais uma vez pensando à frente das demais, no ano de 2000 a empresa inaugurou o e-commerce brasileiro com o lançamento do seu site.

O avatar virtual, conhecido como Lu, teve sua primeira aparição no ano de 2003. O objetivo é ajudar os consumidores na hora de conhecer melhor os produtos ofertados pela empresa. A Lu é uma espécie de apresentadora no canal do YouTube da empresa, que conta com mais de 2 milhões de inscritos.

No ano de 2011, realizou o seu IPO com a captação de recursos equivalentes a R$925,8 milhões. O capital foi aplicado na estrutura de logística e tecnologia da empresa.

Em 2017, alcançou uma marca superior a R$14,3 bilhões no faturamento. E como resultado, em 2018 seu valor de mercado era de R$30.8 bilhões. Além disso, neste mesmo ano, o Magazine Luiza virou Magalu.

No ano seguinte, adquiriu a Netshoes – maior comércio eletrônico esportivo do Brasil.

De acordo com o ranking divulgado em 2019 pela Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), o Magazine Luiza aparecia na 5º posição de maior empresa do varejo brasileiro. Atrás do Grupo Carrefour Brasil (1º), GPA Alimentar (2º), Via Varejo (3º) e Walmart Brasil (4º). No quesito de marketplace do Brasil, a varejista fica atrás apenas do Carrefour.

Ao todo, são 508 empresas listadas na Bolsa de Valores brasileira. Dentre elas, apenas 165 possui a presença de ao menos uma mulher no conselho administrativo. O Magazine Luiza entra para o grupo das exceções, são 9 empresas com 3 mulheres fazendo parte do conselho.

 

Ações do Magazine Luiza

 

Em 5 de novembro de 2020, a MGLU3 atingiu o pico de valorização – R$27,45

 

Representada pelo ticker MGLU3, a ação é uma das mais valorizadas na B3. E mesmo com os impactos ocasionados pela crise do novo coronavírus, os ativos apresentaram uma alta em 2020, alcançando o valor de R$27,45.

 

Conclusão

Criada há mais de 60 anos, a empresa Magazine Luiza coleciona momentos marcantes e de muito sucesso. Foi um longo caminho até ser considerada uma gigante do varejo brasileiro. Após a sua entrada na Bolsa de Valores, foi possível acompanhar de forma mais transparente todo o seu processo de crescimento fruto de uma equipe de gestão competente.

Por fim, vale lembrar que antes de aplicar seus recursos em uma companhia é importante conhecer todos os detalhes sobre ela. Pesquise bastante e conheça seu histórico, sua gestão, as estratégias e todo o desempenho, desde a sua criação até os dias atuais.

Quer iniciar na B3, mas não sabe como? Procure uma assessoria de investimentos e comece a investir hoje mesmo!

 

Veja mais:

Como funciona a Bolsa de Valores?

Quer saber mais sobre investimentos?

Compartilhar:

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *