fbpx
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Índice do artigo

NFTs
Apes in Space à venda no OpenSea (Foto: Reprodução/OpenSea)

Quem poderia imaginar que uma ilustração de internet, daquelas artes digitais mesmo, um áudio ou até mesmo uma foto chegariam a valer milhões de dólares no universo dos criptoativos?! Pois é, isso era algo muito fora da realidade imaginária, entretanto, principalmente em 2021, os chamados NFTs começaram a se tornar populares.

Nos últimos meses, inúmeras celebridades se renderam aos NFTs, o atacante da seleção brasileira, Neymar Jr., foi um exemplo. Mas existem muitos outros, como o rapper Snoop Dog, o cantor Justin Bieber, o jogador de futebol americano Tom Brady e muitos outros nomes populares ingressaram nesse universo. Um movimento que tem chamado a atenção de muitos mundo afora.

Entretanto, ainda que se fale bastante sobre NFT, o conceito pode não ser compreendido por muitos investidores. E, talvez, essa seja a explicação mais plausível para o número de buscas pelo termo ‘NFT’ estar em alta nos últimos dois meses, como mostra o levantamento de dados feito pela Similarweb, companhia de inteligência do mercado global.

Nessa pesquisa, foi analisado o comportamento do consumidor brasileiro, que demonstrou uma média de um milhão de cliques em termos de buscas relacionados aos NFTs. Dentre eles, 98,81% foi via tráfego orgânico e 5,91% representava o volume do público brasileiro.

Também segundo a pesquisa, depois do termo NFT, a principal busca no Google foi a pergunta ‘o que são NFTs?’.

Pensando nisso, neste artigo, vamos explicar detalhadamente sobre eles. Confira! 

Afinal, o que são NFTs?

NFT é uma sigla que abrevia non-fungible token, em tradução livre, token não-fungível. Em outras palavras, é algo que não pode ser replicado, tendo seu valor único e originalidade própria. Pode ser uma pintura artística, uma foto, um item de jogos eletrônicos, ou até mesmo memes.

De acordo com David Padrão, Assessor de Investimentos da InvestSmart, esse ativo usa a tecnologia das próprias criptomoedas, a blockchain, que é crucial para manter a segurança, autenticidade dos tokens e suas respectivas proposições de descentralizar operações.

“As NFTs, ao serem protegidas com essa tecnologia, evitam a pirataria e têm maior garantia de originalidade e segurança para quem produz ou compra. Isso porque a blockchain permite transparência das negociações e de propriedade dos tokens. Assim, a NFT é ideal no mundo digital.”, explicou David.

Além disso, pelo fato de o NFT só permitir ter um dono por vez, isso preserva a escassez e estabelece a propriedade dos ativos digitais.

“Hoje, no mercado, existem as NFTs de imagem – mais conhecidas, e NFTs de jogos – cenário ainda embrionário e, por isso, mais arriscado, onde você consegue ser remunerado pela diversão do game. E quanto mais o NFT atrai pessoas, mais ramos elementares surgem para seu uso e mais liquidez o mercado adquire. É um mercado novo, que ainda tem muito espaço a conquistar.”, completou o assessor.

Como um NFT é criado?

A grande maioria das pessoas tende a pensar que a criação de um NFT é um processo complexo, entretanto, David destaca que isso não condiz com a realidade, “qualquer um pode criar.”

Nesse sentido, há uma espécie de passo a passo para o lançamento de um token não-fungível. Veja a seguir:

1º passo

O criador precisa escolher o formato da sua NFT, um item colecionável de jogos, uma arte, um áudio, um texto, uma simples foto, um vídeo, etc.

“O que você escolhe transformar em NFT depende unicamente da sua imaginação e criatividade.”, afirmou Padrão.

2º passo

É preciso ter uma carteira de cripto, as chamadas cryptowallets, como a Metamask. Segundo Padrão, essa carteira deve ser conectada com as plataformas de negociação, como a Open Sea e a Binance NFT.

Por meio delas, o investidor pode transferir seu NFT para negociação. Geralmente, as transações e transferências têm incidência de uma pequena taxa, chamada gas, cobrada, na maioria dos casos, em Ethereum (ETH) ou Binance Coin (BNB) – a depender da rede utilizada e da plataforma.

3º passo

Antes de fazer o upload do seu NFT é mais do que necessário registrá-lo na blockchain.

“Isso é primordial pois garante a transparência e segurança do NFT que estamos trabalhando e, apenas a partir do sistema, conseguimos dar vida a sua negociação.”, explicou o assessor.

4º passo

Para registrar o ativo, os custos podem ser mínimos, variando desde 1 dólar, até patamares maiores, como 500 dólares ou acima.

Por meio das plataformas citadas anteriormente, esse processo pode ser feito. Mas, segundo David, é preciso ficar de olho em possíveis custos de manutenção de conta e da própria listagem do token.

“A variação dos preços depende até mesmo do dia da semana ou hora – com base no volume de negociações ou transações na blockchain. É importante ficar de olho também nas redes de listagem do seu NFT. Há possibilidades na rede Ethereum, principal e mais cara, mas também é possível registrar na Polygon, Solana, Binance Smart Chain e outras que costumam oferecer melhores preços.”, detalhou David.

Com todos esses passos concretizados, pensando no melhor custo-benefício para cada um, a dica é ficar de olho no mercado e nas negociações de ativos e outras possibilidades no mundo dos NFTs.

NFTs versus Criptomoedas

Para quem busca conhecer mais detalhes sobre os NFTs, uma das principais perguntas que podem surgir é a diferença entre eles e as criptomoedas. De modo geral, a principal diferença é que os NFTs são tokens não-fungíveis, ao contrário das moedas digitais, que são fungíveis.

“Como o NFT é único, ele não pode ser trocado por outro NFT igual ou de mesmo valor de mercado. Já as criptomoedas estabelecem a possibilidade de troca, como o dinheiro fiduciário que usamos na economia global atual.”, esclareceu ele. “É através das criptomoedas, inclusive, que compramos ou vendemos um NFT. Em outro ponto, as criptomoedas são fracionáveis, e as NFTs não são. É impossível fracionar uma imagem ou arte, enquanto é possível negociar frações de Ethereum ou Bitcoin.”, completou o assessor.

NFTs são investimentos?

A resposta para essa pergunta é sim. Todavia, é preciso ter em mente que para qualquer operação é necessário compreender sobre os riscos e benefícios antes de alocar capital. E é importante dizer que isso vale para todas as modalidades, desde a Renda Fixa até os criptoativos.

  • Riscos

No quesito riscos, os NFTs, assim como grande parte do cenário de criptomoedas, é algo novo no mercado. Com isso, há muita volatilidade. São mercados que nunca fecham, e os preços variam a todo instante.

“Como estamos falando de um mercado atrativo, mas ainda em desenvolvimento, a liquidez dos NFTs está começando a ganhar espaço.”, informou Padrão.

Algumas fraudes também são vistas. Sem tanta regulação no processo de criação, é possível ver casos em que pessoas mal intencionadas pegam trabalhos autorais de artistas e vendem como NFT, no intuito de lucrar com o trabalho alheio.

“Fraudes também acontecem nos NFTs de jogos, onde muitos se assemelham ao esquema de pirâmide Ponzi – atraindo cada vez mais pessoas, gerando renda com a especulação, e depois quebrando a economia do jogo.”, sinalizou o assessor da InvestSmart.

Nesse caso, o conselho que o especialista em investimentos dá é pesquisar sempre as pessoas envolvidas tanto no NFT, quanto na moeda de negociação dos mesmos. Isso é ideal não apenas no cenário em questão, mas em todas as operações que faremos com nosso dinheiro.

  • Benefícios

Nem só de riscos vivem os NFTs, afinal, eles apresentam um potencial de valorização enorme, seja no curto, médio ou longo prazo. Sendo assim, mesmo com alguns perigos, os tokens não-fungíveis, sobretudo de imagens, têm sua precificação guiada pela escassez do token.

“A autenticidade é única, apenas o dono do NFT pode realmente vendê-lo e sua valorização é guiada pelo quanto o mercado está disposto a pagar naquele token. Quanto mais famoso e demandado é o NFT, mais valor de mercado é atribuído ao mesmo.”, explicou David.

Os NFTs são comprados e vendidos em criptomoedas, como a Ethereum. Quando o assunto são valores, David cita o exemplo de que 1 Ethereum hoje custa mais de 2700 dólares – e sua valorização cresce dia após dia. Atualmente, há coleções valendo mais de 5 milhões de dólares, geralmente negociados em Ethereum, como é o caso da coleção dos Cryptopunks, ou dos famosos macacos denominados “Bored Apes”, com valorização exponencial nos últimos anos.

 

Cryptopunks
Cryptopunks à venda no OpenSea (Foto: Reprodução/OpenSea)

 

Portanto, é possível transformar o NFT em investimento com possibilidades de valorização de curto e médio prazo muito difíceis de serem vistas nos mercados de Ações ou Renda Fixa convencionais.

NFT virou moda?

Como mencionamos anteriormente, nos últimos meses, inúmeras celebridades se renderam aos NFTs, como Neymar, Justin Bieber, Snoop Dogg, Tom Brady e por aí vai. Nessa movimentação, uma nova tendência é iniciada.

David Padrão salienta que assim como para as pessoas que compram as pinturas originais de Pablo Picasso ou as obras de Leonardo da Vinci, por exemplo, os NFTs representam, sobretudo, status.

“O movimento de compra não apenas é guiado pela modalidade de investimento, mas é muito influenciado pelas possibilidades de networking que ter um NFT pode trazer.” justificou o assessor. “Além disso, para muitos artistas, o NFT é um meio de monetizar diretamente seu conteúdo, afinal, são descentralizados, e a relação com os tokens é direta entre o comprador e vendedor, sem intermediador. Logo, gera mais confiança e lucratividade nas operações e negociações.”, concluiu ele.

O que esperar do mercado de NFTs nos próximos anos?

Para David Padrão, o futuro ao redor dos NFTs é grande, e a oportunidade está no agora. Estudar o mercado, entender os riscos e benefícios, os motivos e as possibilidades representa uma mina de ouro para ingresso nessa nova modalidade de investimento.

“Cada vez mais as crianças, os jovens, os adultos e até mesmo os idosos passam boa parte do seu tempo na internet. Seja jogando, em redes sociais, no youtube ou tik tok, em reuniões online ou fazendo outras coisas. Nesse movimento, vemos casos de pessoas ganhando dinheiro apenas realizando atividades como as listadas, isso explica a facilidade de negociação descentralizada nos mecanismos blockchain, e tende a ser ainda mais fomentado.”, detalhou ele.

O metaverso está apenas começando, mas o crescimento é exponencial. As carteiras de criptomoedas e NFTs estão a cada dia tomando mais espaço no mercado, e as negociações já somam bilhões de dólares nos meios digitais.

A economia digital está se consolidando cada vez mais e isso é um processo inevitável. Cada vez mais pessoas, pequenos negócios ou até mesmo países, como El Salvador e Ucrânia, adotam as criptomoedas no cotidiano ou em momentos de crise, e grandes empresas aderem ao metaverso para suas reuniões ou negociação de produtos na forma de NFTs.

“O capitalismo está evoluindo para os meios digitais descentralizados e assegurados por um sistema complexo, processual e muito difícil de ser destruído. As inovações nos ramos de jogos, NFTs e criptomoedas não param de surgir.”, afirmou David. “Medindo riscos e aproveitando oportunidades, é sempre tempo de aproveitar essa maré digital. A hora é agora!”, concluiu ele.

Quer saber mais sobre investimentos?

Você pode gostar
Quanto rende R$1 milhão na poupança?
Com a taxa básica de juros a 12,75% ao ano e a inflação nas alturas, entender quanto rende R$ 1 milhão...
Empreendedorismo: 3 dicas para formalizar o seu negócio
Com o início da pandemia da Covid-19, iniciada em 2020, muitos brasileiros se encontraram sem seus trabalhos...
Conheça a empresa JHSF
Além do setor imobiliário tradicional, que a maioria conhece, existe no mercado o ramo de alta renda,...
Como a CVM pretende monitorar os influenciadores digitais de finanças
A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) acompanha o mercado, as tendências e o comportamento dos atores...
Navegue pelo site
Siga nas redes sociais
Cadastre-se na Newsletter

O portal www.aprendaainvestir.com.br é de propriedade BANKRIO FINANCIAL HOLDING LTDA (CNPJ/MF nº 33.935.936/0001-63). Apesar da empresa estar sob o controle comum, os executivos responsáveis tecnicamente são totalmente independentes, sendo que estes na função da execução de suas atividades não exercem nenhuma atividade conflitante. Desta forma, os conteúdos vinculados no site são de caráter exclusivamente informativo, não sofrendo, de qualquer aspecto, influência de decisões comerciais e de negócios de outras sociedades, sendo os mesmos produzidos de acordo com o juízo de valor e as convicções da equipe técnica. Ao preencher algum formulário, você aceita compartilhar os seus dados de contato com as empresas controladas pelo grupo.

© 2021 | Todos os direitos reservados