fbpx

Por que o Dólar está caindo? Entenda se a queda vai durar

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Índice do artigo

Dólar
Foto: Pixabay

A queda do Dólar tem deixado muita gente otimista. Na segunda-feira (4), o Dólar fechou cotado a R$ 4,60, o menor valor desde 4 de março de 2020 e encerrou a quinta-feira (7) a R$ 4,74. Os avanços das negociações de paz entre Rússia e Ucrânia podem ter influenciado esse cenário, mas há outros fatores em jogo.

Entenda o que influencia a cotação do Dólar e até quando essa queda pode durar.

Por que o Dólar está caindo?

De acordo com Leo Dutra, analista de investimentos, há pelo menos cinco razões para a queda do Dólar.

1. Desvalorização do real e queda da Bolsa de Valores em 2021

Registrou-se entrada de capital estrangeiro na Bolsa de Valores brasileira, de forma acentuada,  pressionando o Dólar para baixo.

2. Aumento da taxa básica de juros

O aumento da taxa de juros (Selic), avaliada em 11,75%, favorece os investimentos em Renda Fixa. Isso atrai investidores estrangeiros, que trazem mais Dólar para o nosso país, e quanto mais Dólar circulando, mais barato ele fica, segundo Dutra.

 

Aumento da Selic
Aumento da Selic ajuda a explicar queda do Dólar. (Fonte: Shutterstock/Reprodução)

 

3. Superávit na balança comercial

Com o Real desvalorizado, as exportações das commodities têm sido maiores que a importação, resultando em um superávit ampliado em pouco mais de US$ 10,8 bilhões sobre o saldo de 2021.

4. Rotação de carteiras

Ocorre quando investidores internacionais buscam papéis de valor frente aos demais, sobretudo de empresas consolidadas no mercado, como instituições financeiras e commodities.

Com a alta dos juros da moeda norte-americana, os papéis de crescimento futuro são prejudicados.

5. Brasil como refúgio geopolítico

Com o cenário de instabilidade gerado pela guerra na Ucrânia, investidores internacionais buscam países emergentes para investir. E o Brasil é um deles.

A queda do Dólar vai durar?

A guerra no Leste Europeu, somada aos efeitos da pandemia e a problemas com a cadeia de produção, bem como a diminuição da oferta e a inflação global, impactam na queda do Dólar.

Dutra avalia que a mudança também vai depender da política orçamentária do governo que assumir no pós-eleição.

A influência dos preços das commodities, principalmente no barril do petróleo, deve ser avaliada, já que pesa no preço dos combustíveis e, consequentemente, no restante dos insumos básicos que fazem a economia girar.

3 momentos em que o Dólar esteve em queda

Confira três outros momentos em que a cotação do dólar esteve baixa.

1. Avanço da vacinação mundial (2021)

Com a pandemia, o Dólar registrou alta em razão do cenário atribulado em todo o globo, mas começou a mudar assim que parte dos países iniciou o processo de vacinação contra a Covid-19.

Em dezembro de 2020, o Dólar era cotado a R$ 5,18, caindo para R$ 4,97 poucos meses depois, em junho de 2021.

Naquele momento, a melhora de índices na economia brasileira somada à alta da Selic e ao aumento no número de investidores interessados em empresas brasileiras de commodities também contribuiu para a queda do Dólar.

Mas, em dezembro do mesmo ano, a moeda teve alta de 0,96%, sendo vendida a R$ 5,69.

2. Impeachment da presidente Dilma Rousseff (2016)

A possibilidade de impeachment da então presidente Dilma Rousseff, em 31 de agosto de 2016, fez que o Dólar apresentasse queda meses antes. Em março de 2016, a moeda era comercializada a R$ 3,94.

O principal fator eram a política orçamentária e a inflação, e houve forte saída de capital estrangeiro do Brasil.

Depois de instalada a nova política fiscal do governo de Michel Temer, que assumiu pós-impeachment, a confiança do investidor foi retomada, a inflação foi contida e o País voltou a crescer, mas lentamente.

O Dólar caiu um pouco mais de 20% e se manteve assim até meados de 2018. Em dezembro de 2019, fechou a R$ 4,24.

3. Recuperação das bolsas americanas (2007)

O cenário externo favorável e a recuperação das Bolsas em 2007 fizeram que o Dólar registrasse queda, sendo cotado a R$ 1,84. Na ocasião, era o menor valor desde setembro de 2000.

Em 2007, o mercado de câmbio brasileiro registrou a depreciação da moeda estrangeira, que se manteve até setembro do ano seguinte. Em dezembro de 2008, o Dólar fechou em alta, cotado a R$ 2,39.

Quer saber mais sobre investimentos?

Você pode gostar
Quanto rende R$1 milhão na poupança?
Com a taxa básica de juros a 12,75% ao ano e a inflação nas alturas, entender quanto rende R$ 1 milhão...
Empreendedorismo: 3 dicas para formalizar o seu negócio
Com o início da pandemia da Covid-19, iniciada em 2020, muitos brasileiros se encontraram sem seus trabalhos...
Conheça a empresa JHSF
Além do setor imobiliário tradicional, que a maioria conhece, existe no mercado o ramo de alta renda,...
Como a CVM pretende monitorar os influenciadores digitais de finanças
A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) acompanha o mercado, as tendências e o comportamento dos atores...
Navegue pelo site
Siga nas redes sociais
Cadastre-se na Newsletter

O portal www.aprendaainvestir.com.br é de propriedade BANKRIO FINANCIAL HOLDING LTDA (CNPJ/MF nº 33.935.936/0001-63). Apesar da empresa estar sob o controle comum, os executivos responsáveis tecnicamente são totalmente independentes, sendo que estes na função da execução de suas atividades não exercem nenhuma atividade conflitante. Desta forma, os conteúdos vinculados no site são de caráter exclusivamente informativo, não sofrendo, de qualquer aspecto, influência de decisões comerciais e de negócios de outras sociedades, sendo os mesmos produzidos de acordo com o juízo de valor e as convicções da equipe técnica. Ao preencher algum formulário, você aceita compartilhar os seus dados de contato com as empresas controladas pelo grupo.

© 2021 | Todos os direitos reservados