fbpx

Tem imposto a pagar no IR 2022? Veja como e se vale a pena parcelar

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Índice do artigo

Imposto de Renda
Foto: envatoelements

A última semana de maio vai ser corrida para quem deixou a declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) para a última hora. O prazo para envio da documentação à Receita Federal se encerra na próxima terça-feira (31) e alguns contribuintes podem ser surpreendidos no caminho com um saldo de imposto a pagar.

Isso acontece porque, ao longo do ano, à medida em que o contribuinte vai recebendo rendimentos tributáveis – como salário, aposentadoria e aluguel – os impostos são descontados com base na tabela progressiva mensal. Na declaração, porém, o programa do IRPF faz um cálculo utilizando a tabela progressiva anual.

Da diferença entre o valor pago ao longo do ano e o devido de acordo com a Receita Federal, surgem duas opções: valores a restituir ou imposto a pagar.

Se o valor do imposto devido for menor do que R$ 100, ele precisa ser pago em cota única até o dia 31 de maio, data final para o envio da declaração.

Para valores superiores a R$ 100, a Receita Federal oferece a opção de parcelamento em até oito vezes, desde que as parcelas mensais não sejam inferiores a R$ 50. Neste caso, a primeira parcela vence no dia 31 de maio e não será acrescida de juros nem multa.

Mas a regra muda para as cobranças seguintes: na segunda parcela, começa a incidir 1% de juro sobre o imposto, e depois da terceira, além do juro é cobrado ainda uma correção com base na variação mensal da taxa Selic.

A emissão das DARFs (Documento de Arrecadação de Receitas Federais) é feita no próprio programa da declaração ou no Portal e-CAC, da Receita Federal. Neste ano, os débitos podem ser quitados via PIX

Vale a pena parcelar?

O imposto a pagar pode pegar os contribuintes despreparados e sem condições de arcar com mais esse gasto – o que leva muitos para a opção do parcelamento.

Mas é preciso organização na hora de parcelar o saldo devido na declaração do IRPF. “Quem optar por fazer esse parcelamento já tem que estar preparado para pagar um pouco a mais do que o imposto devido, por causa dessa correção com base na Selic“, pontua Luciana Pantaroto, advogada tributarista e planejadora financeira pela Planejar (Associação Brasileira dos Planejadores Financeiros).

Com a taxa de juros em 12,75% ao ano, a opção pode encarecer o imposto para o contribuinte e, por isso, o ideal é tentar quitar o valor à vista. “Como a Selic não para de subir, quem tiver condições de pagar esse imposto à vista consegue evitar a cobrança dos juros adicionais. Quem não conseguir, pode optar pelo parcelamento para diluir a despesa ao longo dos próximos meses”, diz a planejadora.

Rubens Ferreira Jr, advogado tributarista da Advocacia Ubirajara Silveira, orienta que quem optar por um parcelamento deve consultar um advogado. “Não raras vezes, o contribuinte parcela um débito indevido ou inexistente”, afirma.

 

Veja mais:

Imposto de Renda: como declarar meus investimentos?

Quer saber mais sobre investimentos?

Você pode gostar
Ajuste no teto do faturamento de MEI's é votado no Planalto
No dia 21 de junho, foi votado e aprovado pela Comissão de Finanças e Tributação, o Projeto de Lei Complementar...
Milionários na Poupança: pesquisa mostra que há 24 mil cadernetas com mais de R$1 milhão
Em pleno 2022, a Caderneta de Poupança segue sendo tradicional e queridinha dos brasileiros. Ainda que...
Caí no golpe do PIX: e agora?
O PIX foi criado em novembro de 2020 e rapidamente caiu no gosto dos brasileiros. Mais de 1 bilhão de...
Planejamento financeiro tem de ser feito de acordo com sua realidade
As redes sociais TikTok, YouTube e Instagram invadiram a vida das pessoas. Porém, essas ferramentas e...
Navegue pelo site
Siga nas redes sociais
Cadastre-se na Newsletter

O portal www.aprendaainvestir.com.br é de propriedade BANKRIO FINANCIAL HOLDING LTDA (CNPJ/MF nº 33.935.936/0001-63). Apesar da empresa estar sob o controle comum, os executivos responsáveis tecnicamente são totalmente independentes, sendo que estes na função da execução de suas atividades não exercem nenhuma atividade conflitante. Desta forma, os conteúdos vinculados no site são de caráter exclusivamente informativo, não sofrendo, de qualquer aspecto, influência de decisões comerciais e de negócios de outras sociedades, sendo os mesmos produzidos de acordo com o juízo de valor e as convicções da equipe técnica. Ao preencher algum formulário, você aceita compartilhar os seus dados de contato com as empresas controladas pelo grupo.

© 2021 | Todos os direitos reservados